Espelho Retrovisor

Retrovisor só para corrigir o rumo do carro.

Esta é uma frase de um dos jovens desencarnados que escreveram o livro Somos Seis psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier.

Simples frase, profundamente complexa. Usando uma imagem comum, o jovem nos leva a meditações profundas.

O espelho retrovisor não é para nele concentrarmos nossa atenção permanentemente, porque se assim o fizéssemos jogaríamos nosso carro sobre o veículo da frente ou o faríamos despencar pelo abismo.

Espelho retrovisor deve ser usado só quando formos manobrar o carro, a fim de corrigir sua posição, ou, espaçadamente, na via pública, a fim de nos certificarmos de que temos segurança para mudar de faixa na pista.

Assim é o nosso passado. Ele deve ser espiado só algumas vezes para que possamos corrigir o rumo de nossas vidas. Se nos fixarmos no passado – seja ele bom ou mau – conduziremos nossa vida para prováveis desastres. Passado é lição que nos ajuda no presente, visando o futuro. Não é prisão. É alicerce, sobre o qual pode construir ou reconstruir.

Da Doutrina Espírita, como o próprio Cristianismo nos ensina, e pouco importa aquilo que fomos. Importa, isto sim, aquilo que pretendemos ser e para o que estamos hoje trabalhando. Também de nada nos adianta dizer que gostaríamos de ser melhores, se permanecemos parados à espera de algum milagre.

Jesus recomenda a Madalena que não peque mais, isto é, que nalise bem seu procedimento até ali e chegue à conclusão de que tudo estava errado. E, a partir dessa conclusão não fique chorando os erros e o tempo perdido; comece a acertar e a recuperar o tempo. Lastimar os erros do passado é continuar vivendo o passado cheio de desacertos, é estagnação espiritual.

Há aqueles que estão sempre dizendo: “sou muito ruim”, “não presto pra nada”, etc. para desculpar a inoperância no bem.

Ora, se reconhecem que são ruins, que não prestam, é hora de olhar para a frente e analisar as 0portunidades que o caminho oferece para a prática da bondade e para o exercício do serviço fraterno.

Já têm um parâmetro: a ruindade e a imprestabilidade; ajam em sentido contrário.

A mensagem do jovem deve ficar bem gravada em nossas mentes: retrovisor só para corrigir o rumo do carro. O passado, como um espelho retrovisor, só tem utilidade se também for utilizado tão-somente para correção de nosso rumo visando um futuro melhor.

Valentim Lorenzetti

(Extraído do livro: “Caminhos de Libertação” – Editora Aliança)

Post Author: ideeditora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *